Piscina: vinil, azulejo ou fibra de vidro?

Postado em 16 setembro , 2015

A primavera está chegando e, em breve, será a vez do verão. O calor vem aumentando a cada ano, o que faz crescer a vontade e a necessidade de se ter uma piscina em casa. Mas qual o melhor tipo de piscina? Existem algumas questões que precisam ser levadas em conta antes de começar a construir para evitar problemas durante a obra e após a sua finalização. Reunimos algumas dicas para facilitar na hora da escolha.

Vinil

Dependendo do solo, podem ser necessárias fundações profundas para evitar rachaduras. É aplicada uma manta vinílica customizada sobre paredes de alvenaria e piso de concreto que não pode ter imperfeições para não rasgar ou furar o material. Ela tem a vantagem de ter diversas opções de desenhos e cores. Chega a durar até 10 anos e tem custo relativamente baixo. Sua construção e troca de vinil são rápidos, mas o acabamento pode deixar a desejar, já que na borda e nos cantos o vinil não encosta na estrutura e suas emendas não ficam sobre as quinas.

Azulejo

Podem ser feitas tanto em concreto armado quanto em alvenaria. Isso faz com que o custo seja maior e aumenta o tempo da obra. A estrutura precisa receber tratamento impermeabilizante para evitar vazamentos e seus reparos podem sair caros. Apesar disso, é possível criar piscinas dos mais variados tamanhos e formatos e chegam a durar mais de 30 anos.

Fibra de Vidro

Para ser instalada, a base deve ser de concreto, mas não precisa de ferragens, blocos de concreto e impermeabilização. Como ela é pré-fabricada, possui uma gama limitada de formas e tamanhos definidos pelos catálogos dos fabricantes, mas sua instalação é relativamente fácil. Não acumula sujeira, fungos ou bactérias como as outras e possui durabilidade de cerca de dez anos. O transporte, no entanto, pode sair caro e dependendo do acesso ao local, não é possível chegar.